Novidadinhas + TNMQ no brandZapp

1. Outro dia estava lendo os posts antigos do blog e cheguei em um que eu reclamava porque as aulas na PUC estavam voltando. Isso foi em agosto de 2013 e tá chegando o dia que encerra esse ciclo: no próximo período entrego minha monografia! Depois de muito pensar e trocar de temas, decidi falar sobre o feminismo e a internet. Depois conto mais sobre isso num outro post!

2. VAI TER BAZAR!

Se existe uma pessoa mais procastinadora que eu nessa vida, alguém me apresenta, porque olha... Estou batendo recordes! Depois da última (e única, hahahaha) edição, decidi finalmente colocar o bazar no ar novamente. Só que dessa vez, ele vai ser online. :) Acho que desse jeito consigo me organizar melhor e quem não é do Rio vai poder aproveitar. Assim que a loja online tiver nos trinks, venho aqui contar pra vocês. Tá cheio de coisa linda!



3. TNMQ + brandZapp

Cheguei a contar pra vocês lá na fanpage sobre a seleção exclusiva que a Jojo, do UASZ, fez pra esse app, lembram? Então, deixa eu contar a história toda: há uns quatro meses eu trabalho na Dot Legend, essa startup incrível que criou o brandZapp. ♥  Eu faço parte do time de marketing e curadoria do aplicativo e no início do mês, iniciamos uma ação com bloggers e influenciadores digitais. Como temos uma blogayra no time (~euzinha~), assinei uma coleção especial por lá! :)

Mas antes de falar demais, deixa eu contar pra vocês sobre o que é o aplicativo:

- Sabe aquelas coisas incríveis que você vê em blogs e wishlists por aí? É isso que fazemos todo dia. Nós escolhemos um tema, selecionamos produtos bacanas e voilá: todo dia, você vê seleções e produtos bem diferentes - mas sempre ma-ra-vi-lho-sos, modéstia parte - com temas que vão desde decoração à beleza.
- Aí, você pode pensar "puutz, muitas vantagens, nem preciso mais ficar pesquisando coisas por aí", mas ainda tem mais. Todo dia, você ganha pontinhos só por ver e amar essas seleções e depois você pode trocar por ingressos de cinema, recarga de celular e mais um monte de coisa bacana.

Como não poderia deixar de ser, minha seleção por lá tem a minha cara. Escolhi tens essenciais para looks bacaninhas e o melhor: nada passa de 120 reais. Dá uma olhadinha:



Tem coisas da Aquamar, Mercatto, Renner e claro, C&A! ♥  Tem 32 produtinhos maravis lá no app! :) É só baixar aqui, ó:

para IOS: http://apple.co/1fCDZ5S
para Android: http://bit.ly/1MPPmGs

Quem aí já conheci o brandZapp? E quem não conhecia, não esquece de dizer o que achou. ;) 


beijos,
Ju

Ahh! Obrigada pelos comentários de sugestão de temas! Essa semana ainda tem post sobre antiquário na Tijuca, neste mesma hora, neste mesmo batcanal.

A Saga dos Brechós - Brechó Mix (Paróquia Santo Afonso)

Se tem uma coisa que eu gosto em visitar brechós é aquele sentimento de surpresa boa ao achar uma peça legal. Acho que deve ser a mesma sensação de quem tá andando na rua e acha uma nota de vinte reais.


O brechó de hoje foi uma dessas surpresas legais. Nesse dia, eu me programei para visitar alguns na Tijuca, deixei esse por último e quase não fui porque estava meio cansada de andar tanto. Ainda bem que não desisti porque achei um monte de coisa legal. Para começar, ele é MUITO organizado e de cara já ganhou meu coração por um motivo: tem provador e ar-condicionado. HAHA #chorei

Ele funciona nos fundos dessa igreja e é dividido assim: 

- na parte de fora ficam as bolsas e sapatos;
- na parte de dentro, roupas masculinas, femininas, infantis e bijuterias.

Tudo é bem organizado pelas senhorinhas que cuidam de lá. As peças são divididas por tipo e gênero e é bem fácil de encontrar coisas legais; nem precisa ficar fuçando um monte de roupa para achar coisas legais. As peças também são bem limpinhas - assim como o espaço - e conservadas.

Olha o que vi por lá:


Outro ponto positivo do Brechó da Paróquia Santo Afonso é o preço. Toda peça tinha o valor fixado nela e eu não vi nada mais caro que trinta reais. 


Brechó Mix
Rua Barão de Mesquita, 275. Perto do metrô da Saens Peña e do Shopping Tijuca.
Funciona às terças e quintas de 15:00 às 19:00,
 sábados de 15:00 às 18:00 e domingos de 9:00 às 18:00.


Ar-condicionado, coisas legais e baratinhas e provador. Acho que vai ser difícil achar outro brechó bacana feito esse. 


E você, já conhecia o Brechó Mix? Me conta nos comentários!

;)

beijos,
Ju

Trilhas sonoras da vida

No último post sobre looks e etc, alguém comentou que mudei bastante meu estilo. É, o último ano serviu para mudar de casa, de estilo, de vida e trilha sonora. Não sei se acontece com vocês, mas tem umas fases da vida que ficamos mais abertos para conhecer coisas novas e sair da nossa zona de conforto.



Lembro que, em 2011/2012, TODO mundo tava falando do Criolo. Eu ouvi uma música e pensei "putz, esse não é meu tipo de música"; ele canta rap e naquele ano, meu conhecimento desse estilo era zero. Em outro momento, com outras referências na cabeça, voltei a ouvir Criolo e para minha surpresa, me apaixonei pelo cara. (Inclusive, tem show dele dia 29 na Rocinha!). É engraçado perceber como algumas coisas só fazem "sentido" quando você tem outro background. Então, para você também ouvir já - Convoque Seu Buda:


Falando em rappers, recentemente conheci um cara maravilhoso: o Frank Ocean (brigada por me apresentar, Ana!). Ele era do coletivo Odd Future e em 2012 lançou seu primeiro álbum de estúdio, o Channel Orange. Sério, é um álbum simplesmente sensacional; ele mistura rap, hip-hop, referência de R&B. Sabe aquelas álbuns que se completam, da primeira à última faixa? É isso. Ao lançar o álbum, Ocean escreveu um texto em seu Tumblr contando que era gay. Maravilhoso! (procurem o álbum completo no Spotify pra ouvir!


Não podia faltar uma mulher maravilhosa, né? E sim, cantando rap! Você provavelmente já ouviu Fancy e sabe de quem eu tô falando: Iggy Azalea. ♥ Mas vamos nas raízes para ouvir o primeiro álbum dela, o Ignorant Art, de 2012. O disco tem músicas bem mais pesadas e menos comerciais. Vale a pena ouvir:


Minha vó costumava dizer "ouvi tanto que o disco quase furou", quando escutava muito algum álbum. Se o Spotify furasse, eu teria estragado o aplicativo ouvindo o álbum Built On Glass, do Chet Faker. É um disco bem delicado, cheio de musiquinhas gostosas de ouvir. Confere só:



Queria falar mais sobre outros artistas que tenho ouvido, mas isso é um post para próxima semana. 

E vocês já conheciam os álbuns? 

beijos,
Ju

- Ah, quem quiser ver o que mais tô ouvindo, só me seguir no Spotify: meu profile tá bem ali do ladinho. 

- Girls (e ocasionais boys que podem vir aqui), conta pra mim: sobre o que você gostaria de ler aqui? Decor, receitinhas, os desafios de morar sozinha, faça-você-mesma... Ajude uma blogueira a blogar! hehe 

A Saga dos Brechós - Ramatis

Ainda existe espaço para os brechós nesse quintal! :D É verdade que não tenho ido em tantos como eu queria e o principal motivo é falta de tempo. A maioria deles só abre durante a semana e é complicado arrumar uma brecha entre faculdade e trabalho. Mas estou com uma lista de enorme de lugares para visitar. Aos poucos vou contando sobre eles aqui.

 O brechó dessa vez é de mais um centro espírita. É o do maravilhoso Ramatis, na Tijuca, que tenho frequentado. O espaço é pequeninho e é dividido em acessórios, coisas aleatórias (tipo livros espíritas e coisas pra casa), roupas femininas, sapatos, bolsas e algumas peças masculinas. Não tirei muita foto porque a moça olhou meio feio, mas vou contar o que vi de legal por lá:

- um tênis Keds amarelo maravilhoso por 10 reais;
- uma bolsa listrada - dessas com cara de antiguinha - de couro, por 40 reais;
- uns vestidos bacaninhas;
- colares e brincos lindões!

O preço das peças varia bastante. Tem coisas de 5 reais e de 40 (vide a bolsa). Como todo brechó baratinho/beneficente assim, a boa é chegar na hora em que abre para comprar as coisas mais legais. 

Brechó do Ramatis
Rua José Higino, nº 176 - Tijuca. A estação do metrô mais próxima é a Uruguai.
Abre às segundas e quintas, de 14:00 às 19:00



Quem já conhecia o Ramatis e o brechó? Me conta que eu quero saber. :)


beijos,
Ju

[AJUDINHA OFFLINE]

Leitorinhas e leitorinhos: quero criar um post fixo com o endereço de todos os brechós que já postei aqui, mas alguns fecharam outros mudaram de horário. Não tem como eu ir checar um por um, então vocês me ajudam? :) Quem tiver ido em alguns do que indiquei recentemente (esse ano ou até meado de 2014, por exemplo) me conta se ainda tá funcionando e se os horários ainda são os mesmos? Obrigada!

Ah, indicações de brechós novos continuam sendo muito bem-vindas. :)

Tá tendo look do dia

Confesso que nem sempre tem sido uma tarefa fácil se arrumar. Há dias que acordo e quero voltar a dormir só para não ter que enfrentar a terrível hora de se arrumar. Minha teoria é que os quilinhos a mais estão me afetando e que não tentar combinações novas tem me feito ficar menos criativa. Por que vocês sabem que tem isso, né? Pelo menos comigo. Quanto menos você experimenta, menos criativo fica.

Mas uma coisa ou outra funcionou, preciso admitir. (Aviso: não há fotos com boa resolução nesse post, hehe.)

Em dias preguiçosos, tenho optado por usar vestidos longos. Eu comprei 2 novos nesse meio tempo e eles sempre me salvam porque fico arrumadinha sem precisar pensar muito. Thanks god. O listrado é da Marisa, comprado por 15 reais no Bazar da ACVM. Só amor. 



- Vestido longo listrado Marisa: 15 reais, comprado no Bazar da ACVM;
- Rasteirinha Styllus: R$ 39,90

Essa saia plissada continua sendo meu maior amor de todos os tempos e continuarei usando até ela ficar inutilizável. Junto com ela, esse parka da Leader, comprado numa liquidação em julho do ano passado. Eu uso tanto essa parka que daqui a pouco ela tá andando sozinha, sem dúvidas..;



- Saia plissada C&A: R$ 49,90;
- Blusa poá Citycol: R$ 14,90;
- Oxford C&A (reformei e pintei ele nesse post, lembram?): R$ 69,90
- Parka verde militar Leader: R$ 59, 90;
- Colar C&A (era de alguma coleção especial, acho que Iódice): R$ 29,90;
- Do look ao lado: saia listra da Marisa, R$ 29,90 na promo.

Já é julho de 2015. Ainda é permitido amar quimono? Sério, é a roupa mais legal que comprei nos últimos tempos. É fresquinho e ótimo pra finalizar o look. Aceito dicas de onde comprar outro!


- Short preto C&A: acho que R$ 59,90;
- Cropped C&A (na verdade, era um vestido longo cinza que cortei e fiz uma blusa e uma saia longa, hahaha). O vestido custou R$ 29,90;
- Colares C&A: o curto foi R$ 5,90 e o longo foi R$ 11,90;
- Rasteirinha C&A: R$ 69,90;
- Bolsa velhinha do Ali: uns 15 reais;
- Do look ao lado: macacão preto C&A muuuito velho, R$ 19,90 na promoção.

Outra aquisição que fiz foi essa calça jeans de cintura alta da C&A que é apenas ma-ra-vi-lho-sa! Eu amo peças com cintura alta e conseguia achar shorts e saias assim facilmente nos brechós, mas calças nunquinha; nenhuma ficava boa. Aí um dia, andando pela C&A da Voluntários da Pátria, encontrei essa azul marinho. 


- Blusa cinza Marisa: R$ 39,99
- Lenço C&A: acho que R$ 25,90

Por falar em C&A, fui na loja do centro do final de maio e encontrei mil coisas bacanas! Uma delas foi essa blusa com olhinhos Moschino inspired (hehe) e essa blusa com estampa de lua logo abaixo.


- Regata C&A: R$ 49,90;
- Sandália C&A: R$ 39,90 na promoção;
- Short preto C&A: acho que R$ 59,90;
- Bolsa franjas AliExpress: US$ 18,00.


- Regata C&A: R$ 49,90;
- Saia Forever 21, acho que R$ 30,00;
- Sandália Stylus, R$ 20,00 na promo;
- Bolsa franjas AliExpress: US$ 18,00.

Por último, mas não menos importante, um lookinho gótica suave para mostrar a sandália com o melhor custo-benefício de todos os tempos. Foi apenas 20 reais na Stylus (achei na de Bangu!) e já usei incontáveis vezes! Quando comprei, também tinha cor branca e a Camis achou com uma outra amarração. Muito amô! 


- Legging (catei da Camis);
- Camisa estampa militar C&A, R$ 89,90;
- Camiseta Rolling Stones, R$ 29,90 na parte masculina da Renner;


Pronto, mil lookinhos para compensar meu desaparecimento. 

Vou continuar tirando fotos de produções bacaninhas mas, por enquanto, vai ser assim no espelho por dois motivos: o tempo tá curto e perdi a peça que encaixa minha câmera no tripé. ): Não prometo mil posts elaboradíssimos por semana, mas vou tentar postar sempre que der. Muitos abraços virtuais e amor pra quem me mandou mensagens enquanto eu estive sumida. Espero não sumir mais daqui.

;)

beijos,
Ju

O terrível e maravilhoso mundo longe dos pais

Tô escrevendo esse post sentada no sofá e apoiando o notebook no braço dele. Por que? Porque na minha casa nova ainda não tem uma mesa de computador. Não ter móveis é só uma das partes ruins de sair da casa dos seus pais. Mas tem partes boas também.

Enquanto estive ausente, um monte de coisa aconteceu. Uma delas foi que eu pseudo saí de casa.

Não foi por problemas ou falta de amor pela minha família, minha casa, meu quarto e meus cachorros, mas pela distância. Quem depende de transporte público para viver e passa quase três horas presa num ônibus/trem/metrô sabe do que tô falando. Morar em Bangu, estudar na Gávea, estagiar em Botafogo acabou ficando muito difícil e tive que me transportar para esse universo desconhecido chamado república.

Esqueça sua referencia de repúblicas criada por filmes adolescentes americanos. Na Zona Sul do Rio de Janeiro é bem diferente. Existem repúblicas de fato - um apê que somente estudantes moram e dividem as contas, o teto e tudo mais e existem pessoas (velhinhos, famílias e todo tipo de gente) que alugam um quarto pra você. Desde que mudei, em fevereiro de 2014, morei em três lugares diferentes, todos meio repúblicas.

E nessas idas e vindas, aprendi/constatei que:

- Uma das melhores coisas de morar sozinho é poder fazer o que você quiser, já que não mora mais com seus pais. Chegar em casa de manhã sem ninguém reclamar? Pode. Comer miojo no café da manhã? Pode. Passar o dia inteiro deitado assistindo séries? Pode. Levar amigos pra sua casa em horários estranhos? Pode também.

- Tudo estraga rápido. Sério, é terrível. Você tenta se alimentar direito, compra frutas, verduras, queijo minas, requeijão light, peito de peru. Tudo estraga. E só depois de um tempo você aprende a mensurar a quantidade, o que não torna mais fácil a tarefa de fazer comprar para uma pessoa só.

- Se alimentar direito se torna uma tarefa árdua. É muito chato ter que ir ao mercado, comprar coisas frescas e cozinhar depois de um dia cheio. Por isso engordei consideravelmente depois que comecei a morar sozinha, haha. É muito mais fácil comer miojo, lasanha, podrão da esquina, coxinha do Fornalha. Don't judge me.

- Manter uma casa limpa e arrumada não é fácil. Comecei a me sentir tipo naquele vídeo do Porta dos Fundos e passei a entender porque minha mãe às vezes reclama de ter que cuidar da casa. É chato, é difícil e é rotineiro.

- Você começa a sentir falta de pequenas coisas da rotina com sua família, tipo ver TV junto ou jantar com eles. Ninguém contou, mas morar sozinho pode ser solitário.

- Tudo custa muito caro. Outro dia fui comprar uma alface e ela custava 4 fucking reais. Uma alface. Em Bangu era 50 centavos.


Como tudo na vida, as coisas sempre tem dois lados. Morar sozinho pode ser perigoso, mas também pode ser divino e maravilhoso, como diz a música. Em um ano e pouco, posso dizer que é aprendizado, toda experiência vem pra agregar. :)

Beijos,
Ju

(Ah, essa minha última casa é mais permanente e ela vai ser devidamente decorada. Enquanto isso não acontece, vou começar a postar ideias bacanas e baratinhas sobre decoração aqui. E sim, quem tá se fazendo essa pergunta... Voltei!)